Terapias alternativas para tratar lesões em equinos

Os estudos e as pesquisas dentro da medicina veterinária, aliados a modernas e evoluídas tecnologias, permitem que os criadores tenham à disposição, hoje, tratamentos muito mais eficientes, mais específicos e, muitas vezes, bem menos agressores em relação aos que existiam há poucos anos. São novas especialidades, vacinas e medicamentos mais eficazes, avançadas técnicas de cirurgias, modernos aparelhos de diagnósticos, terapias que agregam a homeopatia, as acupunturas e tantas outras de origem manuais.

Um exemplo deste avanço é o trabalho do médico veterinário Maurício Grillo, especialista em quiropraxia, que explica o benefício da técnica. “A quiropraxia é uma terapia manual com o objetivo focado na reabilitação funcional do cavalo. Ela apresenta excelentes resultados nos tratamentos de lesões nos tendões, ligamentos e articulações, adquiridas facilmente em treinos, transportes e doma. A prática ainda melhora a biomecânica do cavalo e a amplitude do seu movimento”.

As novas terapias, manuais e alternativas, analisam o animal como um todo, focam no estudo de seu corpo, sua alimentação, onde vivem e a movimentação exigida.
“O ideal é que a avaliação aconteça ainda quando potro e que o acompanhamento da rotina seja constante. Assim é possível definir exercícios e cuidados mais adequados para cada momento e exigência ao animal, o que previne lesões e muitas doenças, garante uma vida mais confortável, longa e saudável”, pontua Maurício.

O espaço para as novas práticas, no Brasil, ainda é limitado. Muitos criadores ainda desconhecem os benefícios das terapias, que servem não só como complemento de diversos tratamentos, como são positivas no que quesito prevenção e reconstrução, valorizando desta forma a qualidade de vida dos animais.
Especialista também em homeopatia, Maurício explica que o caminho escolhido atualmente pelos médicos veterinários leva em conta as terapias que objetivam o funcionamento do organismo como um todo, em seu máximo potencial.

Os resultados

O criador de cavalos Crioulos, Júlio Stumpf, da Parceria Três Estâncias, de Taquara, no Rio Grande do Sul, é homeopata e sabe mais do que ninguém os benefícios que a terapia traz para seus animais. “Para ter uma criação sadia é necessário atentar para o animal como um todo. Cuidar de sua alimentação, do campo e das práticas da competição, do transporte. Observar suas reações, sua postura, a parte física e psicológica. Neste sentido, a homeopatia vem complementar esta busca por uma geração saudável, já que consegue tratar e prevenir de uma forma mais natural, de dentro pra fora, muitas vezes curando efetivamente a enfermidade”, descreve o homeopata.

Júlio explica que como criador considera a prática um grande ganho para sua cabanha e como homeopata tem conquistado retornos bastante efetivos com a terapia: “Já tive um cavalo com uma infecção bastante intensa no joelho. Fizemos um bom diagnóstico, analisamos cuidadosamente os sintomas e utilizamos a homeopatia. Em 12 dias, o cavalo já havia respondido à medicação e expeliu toda a inflamação, a ponto de curar exatamente o transtorno. Com esta prática, provavelmente, este animal não terá mais esta enfermidade”.

Conheça algumas das terapias

Homeopatia – Trata-se da utilização de medicamentos preparados a partir de substâncias animais, vegetais e minerais, com foco na prevenção e no bem-estar do animal. Pode-se tratar problemas de comportamento, dermatológicos, artrite, diarréias e gripes.

Acupuntura – É uma técnica que busca restaurar a saúde e o bem-estar do paciente por meio da inserção e manipulação de agulhas no corpo. A terapia é indicada para tratamento de traumas, dores e a busca pela melhora da imunidade.

Quiropraxia – Prática que trata o animal como um sistema, onde cada elemento se conecta e se combina para formar um conjunto. A técnica tem por objetivo a reabilitação funcional e é indicada principalmente para lesões da musculatura.

Para qualquer tratamento é necessário a busca por um profissional especializado.

Informações Valéria Cunha/ABCCC
Fotos (Maurício Grillo): Faby Mattos/ABCCC/Divulgação

Deixe um comentário

Seu comentário será publicado se estiver de acordo com as políticas de publicação do site. Seu e-mail não será publicado.