O cavalo é um animal de rotina, diz médico veterinário

A partir dessa afirmação é permitido concluir que alterações mínimas nas atividades diárias do animal podem acarretar em complicações. É o que acontece quando são retirados do campo e submetidos a períodos de dois ou três meses de confinamento a fim de prepará-los para as provas morfológicas. Essas mudanças de habitat e alimentação contribuem para o desenvolvimento de problemas metabólicos e digestivos.

De acordo com a revista ABCCC, durante essa fase de intensificação de trabalho, a quantidade e inclusive a mudança do tipo de alimento alteram os hábitos do animal. segundo o médico veterinário Jarbas Castro Junior, jamais se pode esquecer que o cavalo é um indivíduo herbívoro. “Ele precisa diariamente de quantidade adequada de volumoso, principalmente pasto, além de complementos, como rações concentradas”, adverte. Essa é uma das principais maneiras para incentivar o bom funcionamento do aparelho digestivo.

A hidratação é outro ponto importante. O cavalo deve beber de 20 a 25 litro de água por dia, sendo que qualquer redução desse volume um fato passível de afetar seu desempenho. Á água na presença de minerais ou potencialmente contaminada pode desencadear infecções intestinais. Castro também sugere considerar as mudanças de local, como da fazenda até os centros de competições, em que a variação da água de poço para água tratada pode fazer com que o animal deixe de ingerir líquidos.

O encerramento é uma forte alteração na rotina do equino. Deixar o animal na cocheira, além do desconforto, estimula que problemas no aparelho locomotor apareçam ou se agravem. “É um risco do processo”, fala Castro, atribuindo ao treinador a responsabilidade de um intenso acompanhamento da saúde do animal. “Sabe-se que a mudança para ganho de peso é inevitável, então, ao menos se deve realizar uma alimentação bastante tracionada no decorrer do dia”.

Não existe uma hora exata para levar o animal ao veterinário. É importante que cada treinador esteja sempre próximo do cavalo para verificar qualquer alteração. Segundo o especialista, um diagnóstico precoce bem embasado pode reduzir eventuais problemas. “Estamos trabalhando com atletas. Se fizermos comparação com jogadores de futebol, que precisam de horas de sono e alimentação específica, vamos perceber que com o cavalo não é diferente. Tudo é controlado”, conclui

Deixe um comentário

Seu comentário será publicado se estiver de acordo com as políticas de publicação do site. Seu e-mail não será publicado.