Conheça a Cabanha GAP São Pedro, de Uruguaiana (RS)

Um século de tradição e pioneirismo

A GAP Genética representa no cenário da pecuária nacional um modelo em seleção e comercialização de reprodutores de raça. Uma trajetória iniciada por volta de 1906, quando João Vieira de Macedo, tradicional criador e invernista na fronteira do Brasil com o Uruguai, adquiriu terras na região de Uruguaiana/RS, formando a Estância Azul, que mais tarde viria a ser conhecida como Cabanha Azul. Ele foi o responsável pela importação de animais de origem britânica, buscando qualificar as características genéticas de carcaça e precocidade do rebanho da propriedade, cuja seleção era feita, fundamentalmente, baseada no olho e na experiência dos técnicos.

No início, um dos destaques da cabanha era o rebanho ovino, principalmente da raça Merino Australiano, que chegou a constituir-se no maior e melhor plantel do país, produzindo toneladas de lã com padrão inigualável. Mais tarde, entre as décadas de 50 e 70, o trabalho foi intensificado por seu filho Lauro Macedo, que projetou o nome da Cabanha Azul como o mais importante criatório gaúcho, conquistando inúmeras premiações em exposições das raças Angus, Hereford e Devon, o que acabou atraindo investidores que procuravam a cabanha para adquirir reprodutores bovinos e ovinos. Então, para centralizar as vendas, criaram-se os leilões, iniciativa pioneira logo difundida por todo o país.

Em 1993, após a partilha dos ativos agropecuários da Cabanha Azul, surge a GAP Genética, sediada em Uruguaiana e dirigida por Eduardo Macedo Linhares. Com a abertura de novos mercados, a empresa foi incorporando outros estabelecimentos, estrategicamente distribuídos nas principais regiões de grande avanço da pecuária de corte brasileira, sendo hoje referência nacional na criação de Angus, Brangus, Hereford, Braford e cavalos Crioulos.

 

Paixão e Respeito:

O Cavalo Crioulo

Apesar de suas diferenças, as quatro raças bovinas selecionadas na Gap dispensam igual dedicação por parte da equipe de trabalho, como não acontece com os equinos Crioulos, onde o ingrediente paixão entra com um peso maior. Companheiro inseparável do gaúcho no trabalho e lazer, o cavalo Crioulo tornou-se símbolo de uma cultura, unindo num mesmo ambiente, peões e patrões.

Eduardo Linhares vislumbrou a grande oportunidade de aproveitar a cabanha de cavalos também como aglutinadora de sua familia, convidando a todos a participarem deste negócio, hoje muito bem administrado pela sua filha mais nova, Márcia.

O Equilíbrio entre características morfológicas e funcionais, adotado como firme critério de seleção do “cavalo completo”, proporcionou aos produtos da Gap São Pedro conquistarem as mais altas premiações da raça, destacando com Rodopio o Freio de Ouro 2008 e com Pampa o Freio de Prata 2009 e Freio de Ouro 2010.

 

Deixe um comentário

Seu comentário será publicado se estiver de acordo com as políticas de publicação do site. Seu e-mail não será publicado.