Cavalo Crioulo terá agenda intensa durante a Expointer 2013

Competições e negócios vão movimentar a participação da raça crioula nesta edição da Expointer, que ocorre de 24 de agosto a 1º de setembro, no Parque de Exposições Assis Brasil, em Esteio. Além da grande expectativa para a final do Freio de Ouro, que abre a programação da maior feira agropecuária do Rio Grande do Sul, a final da Morfologia, que ocorre na terça-feira, também é esperada pelos criadores e público em geral com grande expectativa.
Serão 638 animais que irão participar das finais de provas que serão realizadas ao longo do evento. Se contabilizados os animais que vão ser comercializados nos leilões da raça crioula, este número deve ultrapassar os mil. No ano passado, a venda de animais chegou a R$ 13,7 milhões, sendo que só nos remates do cavalo crioulo os números fechados foram de R$ 9,4 milhões. Para o presidente da Associação Brasileira de Criadores de Cavalos Crioulos (ABCCC), Mauro Ferreira, a expectativa é de alta nos negócios. “Há uma tendência de crescimento que se reflete dentro da Expointer a cada ano que passa e esperamos que este movimento se mantenha. Novamente o cavalo crioulo deve ser o responsável pelas grandes vendas de animais”, projeta.
A ABCCC vai trazer novidades na entrega de prêmios da Morfologia. Na cerimônia das 19h30min, também recebem prêmios as cabanhas melhores ranqueadas regional e nacionalmente em provas funcionais e morfológicas, bem como os vencedores da Copa do Criador, além dos campeões da Marcha da Integração e do Enduro. Depois de 14 semifinais, o grande vencedor da Morfologia será conhecido no dia 27 de agosto. O criador gaúcho Ricardo Vieira Borges será, pela quarta vez, jurado da grande final. O avaliador tem mais de cem eventos em seu currículo e será o responsável em definir o melhor exemplar do ano.
Mas antes, as emoções estarão voltadas a conhecer os grandes campeões do Freio de Ouro 2013. A final começa na quinta-feira, dia 22, e vai até o domingo, onde as provas finais definem os vencedores do ano, depois de classificatórias. Os 96 conjuntos finalistas devem fazer uma disputa palmo a palmo pelo título deste ano, assim como foram as 12 etapas classificatórias. Para o vice-presidente de Eventos da ABCCC, Leandro Amaral, o alto padrão de animais foi visível, tanto morfológica quanto funcionalmente. “Sem dúvida surgiram animais excepcionais em todas as etapas e, a cada ano, este número cresce mais. O Freio é uma disputa que não se pode apontar favoritos e está ficando cada vez mais difícil prever o resultado”, diz Amaral.
Os jurados para este ano já foram definidos. Os responsáveis por julgar o time das fêmeas são os criadores Eduardo Móglia Suñe, César Augusto Hax e Vinícius Freitas enquanto André Narciso Rosa, Daniel Mello e Sandro Amaral avaliarão os machos. Os jurados reservas deste ano são João Luis Arísio e Rodrigo Py. Outras seis provas da raça crioula serão realizadas e terão suas finais durante a Expointer: Campereada, Crioulaço, Freio Jovem, Freio do Proprietário, Movimiento a La Rienda e Paleteada. Dessa última, a decisão acontece apenas na Força principal, já que a final da Força B ocorreu em Bagé, dia 5 de maio.

 

Deixe um comentário

Seu comentário será publicado se estiver de acordo com as políticas de publicação do site. Seu e-mail não será publicado.