Artigo – Nutrição dos potros ao pé

A nutrição do potro se inicia durante a gestação, principalmente no terço final, fase em que o crescimento fetal é muito grande (o potro chega a ganhar até 500 gramas por dia) e continua durante a amamentação, através do leite materno. Para garantir que o animal esteja recebendo uma nutrição adequada nestes períodos, é fundamental que a égua seja alimentada com ração balanceada com 15% de Proteína Bruta, além de volumoso de boa qualidade oferecido à vontade.

O leite materno garante a nutrição do potro somente até o terceiro mês de vida. A partir do terceiro mês de lactação a égua tem sua produção de leite reduzida e, ao mesmo tempo, o potro tem suas exigências aumentadas, o que significa que uma suplementação com ração balanceada deve ser realizada. O ideal é que a suplementação seja feita com ração comercial específica para potros, contendo em torno de 18 a 20% de Proteína Bruta e um balanço de cálcio e fósforo dispostos na proporção de 2:1. O fornecimento da ração deve começar com 30 dias de idade, em quantidade aproximada de 100 gramas por dia, para que o potro aprenda a comer e aceite o produto. Esta quantidade deve ser aumentada de forma gradativa, de modo que aos três meses de idade, quando o leite materno não estiver mais em quantidade suficiente, ele já tenha aprendido a comer a ração. Aos cinco meses, o animal deve consumir em torno de 0,8 a 1% do peso vivo de ração balanceada ao dia, dividido em dois tratos. Esta dieta permitirá que ele chegue à fase de desmame com um estado físico ideal para suportar o estresse.

A suplementação torna-se ainda mais importante pelo fato do animal não conseguir digerir eficientemente a fibra, pois não possui o ceco totalmente funcionante. Isto significa que o volumoso consumido não é 100% aproveitado, tornando-se indispensável o fornecimento do concentrado. Por isso, é imprescindível que a pastagem seja de boa qualidade. Além disso, o sal mineral balanceado específico para equinos deve ser fornecido à vontade para o consumo dos potros.

O acesso das éguas à ração dos potros deve ser restrito. Para que tenha um resultado efetivo, um sistema de creep feeding pode ser introduzido no pasto (local cercado dentro do piquete com comedouro, onde somente os potros têm acesso para o recebimento da ração) ou prender a égua enquanto ela se alimenta e colocar um cocho separado. Há lugares em que o manejo permite que o potro se alimente juntamente com a mãe até o desmame, mas esta prática não é tão eficaz, já que a ração da égua contém menos proteína que a do potro.

Nutrição para potros

A Guabi oferece três produtos desenvolvidos em especialmente para atender os requerimentos nutricionais dos potros em crescimento. A ração Potro E é 100% extrusada de alta digestibilidade e indicada para Potros de 7 dias a 24 meses de idade. Contém 19% de proteína e minerais orgânicos necessários para evitar o aparecimento de DOD.

Potro P

Já a Potro P (peletizada) é formulada com 17% de proteína e 3440 kcal de energia digestível. Sua composição dispõe de óleo vegetal, minerais, minerais orgânicos (Cromo, Zinco, Cobre e Selênio), vitaminas (A, D e E), Biotina, probióticos e aminoácidos essenciais como a Lisina. Indicada para Potros de 7 dias a 18 meses de idade. A Potro Laminados é uma ração multipartículas com alta digestibilidade e palatabilidade. Com 18% de proteína ela é indicada para Potros de 4 até 24 meses de idade. A empresa oferece uma completa linha de produtos para todas as fases de crescimento e necessidades nutricionais de equinos, como as famílias Equitage e Proequi. Para saber mais acesse o site www.guabi.com.br

Autor: Cláudia Ceola – Médica Veterinária e Supervisora Técnica de Equinos da Guabi .

Deixe um comentário

Seu comentário será publicado se estiver de acordo com as políticas de publicação do site. Seu e-mail não será publicado.